"Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou! "

Florbela Espanca

sábado, 29 de dezembro de 2007

Queria pintar

Queria pintar,
um sorriso no rosto das crianças
um brilho no teu olhar
a felicidade nos rostos
da humanidade a definhar

De verde, a terra queimada
de rosa, o teu pensamento
com branco cobrir o sangue
dos povos em sofrimento

Transportar o azul do mar
para as terras secas e gretadas
assim pudesse evitar
mortes de gentes esfomeadas

Se o mundo fosse uma tela
saberia o que pintar
pintaria com Amor
...tudo iria mudar!...


Margusta (19/10/2005)

Fim de tarde

Vejo-te através da densa neblina.
Com o olhar sigo as tuas pegadas, que sem eco, se perdem em tons de azul .
Misturado com a maresia, chega até mim um forte cheiro a pétalas ... E no meu coração desenha-se o voo das mariposas...


@Margusta

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Um terno e eterno beijo de saudades Pai!!!


( foto tirada da net)
Faz um ano. Era a tua ultima noite. Ardendo em febre seguravas a minha mão. Já nada mais se podia fazer...já nada mais havia a fazer. Lembro-me de que por volta das 23h te coloquei o adesivo de morfina... era a tua ultima noite...
Seguravas na minha mão...
Hoje recordo cada minuto dessa noite...e ainda sinto o calor das tuas mãos...

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007




Árvore de Natal


Quisera Senhor, neste Natal, armar uma árvore
dentro do meu coração e nela pendurar em vez de
presentes, os nomes de todos os meus amigos.
Os amigos de longe e de perto. Os antigos e
os mais recentes. Os que vejo a cada dia e os
que raramente encontro. Os sempre lembrados
e os que às vezes ficam esquecidos.

Os constantes e os intermitentes. Os
das horas difíceis e nos das horas alegres,
os que sem querer, eu magoei, ou,
sem querer me magoaram. Aqueles a quem
conheço profundamente e aqueles de quem não me
são conhecidos , a não ser as aparências. Os que
pouco me devem e aqueles a quem muito devo. Meus
amigos humildes a meus amigos importantes. Os nomes
de todos os que já passaram pela minha vida.

Uma árvore
de muitas raízes muito profundas para que seus nomes nunca
mais sejam arrancados do meu coração. De ramos muito extensos,
para que novos nomes vindos de todas as partes, venham
juntar-se aos existentes. De sombras muito agradáveis
para que nossa amizade, seja um aumento de repouso nas lutas
da vida.
Que o natal esteja vivo dentro de nós em cada dia do ano
que se inicia, para que possamos viver sempre o amor
e a fraternidade.

Copiei daqui http://natal.com.pt/mensagens-poemas-de-natal , mas sinto cada uma destas palavras, como se fossem minhas...
O meu Abraço!!!...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Sabes como gosto de caminhar à beira mar. Nos últimos dias também o tenho feito no final da tarde. Sabes querido, quando a noite começa a avançar devagarinho, e eu me vou perdendo pelos caminhos, esbarrando nas paredes da solidão...feita de silêncios..
Hoje, quero fazer chegar até ti as imagens que me vão desfilando, pelo castanho escurecido dos meus olhos.
No horizonte tudo se funde, não há mais céu , não há mais mar...Tudo é cinza, várias tonalidades de cinza...Incansável, o cinza cospe rolos de espuma branca que me fere a vista...que fere o cinza...e eu tento adivinhar a linha que separa o céu do mar...
De olhar magoado sigo o branco. Branco espuma que o mar esfarrapa no areal como se fossem pipocas gigantes... porquê agora esta ideia das pipocas se nunca gostei de pipocas....
Deixo o branco e fixo de novo o olhar no cinza, na esperança de te ver aparecer...e te reconhecer pela voz... pela alma a que me prendi...Descobrir alguns dos traços do teu rosto, que tenho pincelados na memória. Quadro inacabado!...Queria tanto pintar-te um sorriso, e um brilho no olhar que adivinho...
Mas o mar está enraivecido, deve estar zangado com a cor que o Criador lhe atribuiu por estes dias...
Em terra está tudo tão sereno. O vento deve ter se afastado do touro enraivecido que está o mar, deve andar por outros lugares mais coloridos... Até que não seria má ideia que hoje soprasse, talvez assim te levasse da minha memória! Talvez assim eu não ficasse tão triste, tentando descobrir-te no cinzento desta tarde , em que até o silêncio tem as cores cinza.
Talvez fizesse um grande emaranhado dos meus cabelos loiros, que um dia disses-te parecerem de anjo e me ofuscasse a visão... Assim, eu não tentaria mais desvendar o caminho que me leva em procura do teu olhar, e tu não precisavas de te fechar nas portas gigantescas do horizonte...

Não me estranhes. Hoje deu-me para escrever, apesar das palavras por vezes parecerem inúteis... Mas sabes querido, hoje não me apetece deixar de escrever. Assim como me apetece que nunca pares de me mimar. Hoje sinto saudades dos teus mimos...
Sabes, o horizonte continua cinzento, a areia continua a sorver os rolos de espuma, e o mar de tanto gritar já está rouco...mas é teimoso. É teimoso como eu, e continua a embater nas rochas lá na ponta do esporão. Em cada rugido que dá, envolve o meu corpo no seu hálito salgado...beijo feito de cristais de sal... e as ondas vão e vêm... assim como eu... assim como tu. Tão depressa se dão como se recusam...
Os meus olhos estão cansados, e o mar continua a deitar espuma branca...
Porque vão e vem as ondas...Porquê meu querido?...
O mar é caprichoso...e a espuma, é a ânsia do mar que vem espraiar os seus desejos na areia...derrama o seu prazer no areal...
Mas já não sei querido se esta espuma hoje é a ânsia do desejo...porque o mar hoje parece-me tão triste!...Que, já não sei, se não serão lágrimas de angustia cheias de ranho que as ondas jogam na areia....
Porque será que o mar nunca se cansa querido?...Será inquieto como eu?...Diz-me, será que algum dia vamos descansar deste turbilhão de pensamentos...deste enrola e desenrola de sentimentos, que deslizam em nós e nas areias onde me vejo deitada...
O sol que não cheguei a ver, acabou de ser engolido sofregamente pelo mar.
São horas de regressar. Começa a ficar escuro e eu estou cansada, desta luta cega que travei com o horizonte.
Queria sair a voar daqui...as botas de salto alto e fino, não são boas companheiras para caminhar na praia. Os pés doem, e a alma dói...e os meus lábios sabem a sal.
A lua deve ser preta, porque hoje não a vejo. Diz-me querido porque não brilha hoje a lua e atrás de mim o mar continua a rugir como se fosse um animal selvagem?...

Melhor esquecer por hoje o mar, a paleta de cinzentos , a ânsia e a angústia da espuma ....
Melhor regressar a casa , à rotina que me engole o pensamento até que o sono me leve a naufragar nos lençóis brancos em que me deito... e deixar que os sonhos tomem conta de mim, onde sei que o teu abraço me espera!...

@Margusta
In " Contos do A-Mar"
2007/12/07

sábado, 15 de dezembro de 2007

Parabéns querida mãe !!!...

Parabéns querida mãe pelos teus 79 anos.
Mãe queria dizer-te muitas coisas, fazer-te um poema bonito...mas mãe...não existem palavras para te descrever...
Só sei que a tua grande missão nesta terra foi ser mãe. Papel que continuas a desempenhar com o todo o teu carinho, e , que ainda hoje choras a tua que perdes-te aos quinze anos de idade. Foi a partir desse dia que vestis-te o papel de mãe, que ajudas-te a cuidar dos teus irmãos todos mais novos que tu...
Depois nunca vives-te para ti...mas sim para os teus onze filhos, a quem tens dado todo o teu AMOR.

Hoje ao olhar-te melhor fiquei transtornada com a tristeza que tomou conta do teu olhar...Essa tristeza tem um nome eu sei...
Adoramos-te MÃE!!!...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Contigo pai, é sempre Natal no peito!


No ultimo Natal ,
silenciosamente,
a noite cresceu agitada.
Solidificado, o vento uivava
no seio do nada.
Em ruas sem passos,
piscavam luzes multicolores.
E na penumbra da casa
misturavam-se odores...
Aos poucos, perfumada de canela,
esgueirava-se a vida na janela
do teu olhar.
Enquanto, na mesa da sala
cheirava a bolos de fruta e mel,
a licores e vinhos.
Sem magia, da planura dos
céus de estrelas apagadas,
desciam renas sem sinos...
Chegava a agonia
vestida de mãe Natal.
Madrasta cruel!...
Apertavam-se os corações...
Elevavam-se as orações...
Na opacidade das memórias
outros Natais...
Ah, família feliz!
Queremos-te de volta,
boneca de trapos, pião,
bola...brinquedo sonhado,
na mão de qualquer petiz...

Corto a névoa.
Paro as imagens.
Deslizo as mãos no tempo.
Toco as lembranças, e
embrulho-as num lindo papel.
Fortificada, apago a dor
e faço um laço pai
do teu legado de amor.
Poema aprendido...
Será sempre este, o presente
perfeito!
Aconcheguei-o a meu jeito,
e, é sempre Natal no peito!


@Margusta


Foi com este poema que participei nas " Noites de Poesia em Vermoim" no passado dia 1 de Dezembro no tema " É sempre Natal no peito! ". O meu Muito Obrigada à Maria Mamede por ter dado a voz a este poema de tão grande importância para mim.
É assim que sinto o meu pai...um legado de amor no meu peito...
Se Natal é AMOR ... É sempre Natal no meu peito!...
O AMOR ultrapassa todas as barreiras... e o meu pai continua sempre vivo em mim!!!...
Que todos possam viver com PAZ, AMOR, e HARMONIA, não só nesta quadra natalícia, mas em todos os dias do ano!...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

"O Caçador de Dons" é o terceiro romance do escritor Paz Kardo. A apresentação pública irá decorrer no próximo dia 08 de Dezembro de 2007 (Sábado) pelas 18hoo no CLASSIC BAR - C. Caparica, em frente à Lota (Na Av. Gen Humberto Delgado - Avenida das Praias).
Paz Kardo, é o autor dos romances "Ausência", Ed. Minerva/2005 e "Não há Certezas", Edições EC/2006.
Conheci Paz kardo (Ricardo) numa exposição minha em Agosto de 2006, uma semana antes da apresentação do romance "Não há certezas", fiz logo questão de comprar o livro e mais tarde, precisamente em Novembro desse ano comprava o "Ausência". Fiquei fascinada com a sua escrita, e o modo como aborda os temas,mesmo aqueles considerados tabu. Por isso é com ansiedade que aguardo " O caçador de Dons", livro já anunciado á bastante tempo.Paz Kardo foi ainda o mentor e coordenador literário da Compilação de Conto e Poesia " Liberdade Condicional" onde participei.
Apesar de bastante jovem Paz Kardo é um grande escritor. Tenho pena que não esteja divulgado como merece, mas tenho a certeza que, com obras tão boas , e , a este ritmo de escrita num tempo não muito longínquo esse dia irá chegar.


Parabéns amigo Ricardo!!! Para ti desejo o maior sucesso!!!






Entretanto a minha amiga Conceição Paulino ( Tmara) do http://balaodensaio.blogspot.com/ , irá fazer a apresentação pública do seu livro "Salvador o Homem e Textos InConSequentes" no próximo dia 7 de Dezembro, pelas 21,30h na Junta de Fregª de S. Mamede de Infesta.
Tenho uma grande admiração por Conceição Paulino, já tenho uma obra sua, e este seu novo livro faz parte do meu pacote de Natal.
Para ti minha amiga o maior sucesso!...
Com muita pena minha não poderei estar presente, mas estarei lá de alma e coração com toda a certeza nesse dia!

Quero agradecer a todos os que têm passado por aqui, e pedir desculpa pela ingratidão de não ter correspondido ás visitas. No entanto quero dizer-Vos que não Vos esqueço, e que voltarei, quando sentir que devo voltar.


Fica o meu ABRAÇO!!!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Fico à tua espera na Primavera...


A madrugada estendia pelo céu o manto sanguíneo da sua primeira claridade. Olhou longamente a tela, enquanto as mãos nervosas poisavam os pincéis. Nas fontes os cabelos loiros, estavam humedecidos de ligeira transpiração, à roda dos olhos um halo mais acentuado das olheiras escurecidas.
Através da vidraça já se conseguiam vislumbrar os campos de Outono, cobertos de restolho... amarelecidos, com as árvores semi-desnudas. Ao longe, as aves iniciavam os seus voos em círculos, sobre a água matinal da pequena lagoa.

De novo o seu olhar poisou sobre a tela, onde as papoilas, pintadas de fresco brotavam da terra...bocas ardentes que manchavam os trigais...Conseguia divisar-lhes as bocas juntas, e as pálpebras cerradas de volúpia.

Perdia-se em pensamentos, a luta era dentro dela...a Vida e o Amor eram um mistério infinito... uma extradionária flor, onde existiam aromas tão diferentes!...
A vida abria-lhe os braços num rasgo de alegria e de luz ...mas tinha que proteger a sua rotina, a rotina a que se habituara , e lhe parecia perfeita.
Tinha que esquecer o Verão!...Logo agora que estava pronta para voar, e começar a aprender o significado da ternura do amor.
Toda a noite pintara, era preciso esquecer o Verão!...Já era Outono!...Estremeceu ao pensar na chegada do Inverno...Sabia que era amada , mais do que alguma vez imaginara...

Exausta recostou-se num cadeirão, fechou os olhos e em serenas lágrimas murmurou:
- Perdoa-me!... Mas deixo-te minha alma gémea...espera por mim numa outra vida!...
Escutou uma voz... pouco audível, pouco mais que um sussurro...
- Meu amor...fico à tua espera na Primavera!...

@Margusta

sábado, 10 de novembro de 2007

" Para adquirir amor...encha-se a si próprio com ele até se tornar um íman."
Charles Haanel

O Mar,os Pescadores e as Gaivotas...












"Nunca irei a uma manifestação contra a guerra. Se fizerem uma manifestação a favor da paz, convidem-me."
Madre Teresa

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Perco-me...por momentos



foto de 21/10/2007
Perco-me...
Nos pequenos/grandes momentos
Dos meus caminhares
Na essência da natureza
Revejo o reflexo dos meus sonhos
Sem contornos definidos
Fugazes são os sentires
Desses momentos
Onde me evado...
Perco-me...
Para de novo me reencontrar
Nas coisas simples
Que observo
E me fazem feliz
Perco-me...por momentos
Em momentos sentidos
No meu caminhar...
@Margusta

Hoje apeteceu-me postar este simples poema , já postado nos " Momentos Sentidos" a 7 de Janeiro de 2006.
... continuo a alimentar a minha alma das coisas simples...destes pequenos/grandes momentos, vou construindo os meus dias!...

Sequência de fotos tirada no entardecer de 3/11/2007







































Querida amiga Lena,gostei tanto do vídeo que me deixas-te noutro espaço,que não resisti em colocá-lo aqui.
Para escutar pf.desligar o vídeo do slideshow acima.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Aguarela de Margusta

Comemora-se hoje o Dia Nacional do Rastreio do Cancro da Mama.
A todas as mulheres que forem convocadas para estes rastreios, um conselho...Por favor não faltem!!!...
A todas as outras Mulheres ... Por favor, não deixem de fazer os exames de vigilância anuais ou consoante seja o Vosso caso, idade, problemas na mama..etc.
Para todas as Mulheres que foram vencidas, para as que venceram, e para as que lutam neste momento contra o Cancro da Mama, deixo aqui...
A minha Homenagem, o meu Respeito e o meu Apoio e Carinho!!!...
Deixo-lhes ainda o meu Abraço IMENSO!!!...

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Um post diferente....

Para o meu tio Jacinto e a minha tia Rosa...

As frutas lá da quintinha... são tão saborosas :)

E ao fim de alguns meses, lá tive coragem para cortar a abóbora...gostava de olhar para ela :)
Bom e lá fiz o doce. A Patrícia ajudou-me a cortá-la em pedacinhos, enquanto a minha mãe me dava instruções pelo telefone...pois é...nunca tinha feito doce de abóbora. Não resisti a estas cores lindas e fui registando os momentos :)









No ponto ;)

Junto nozes,


e amendoas aos pedacinhos.
Ficou delicioso!...

E os dióspiros que chegaram na segunda feira são tão doces!...
Têm feito as minhas delícias!!!...


Este já era :))) Depois de o ter literalmente devorado , restou uma linda flor!...
É linda não é?...


Bom aqui foi a prima Margarida que pediu que fotografasse o nosso pequeno almoço, depois da ida à praia...mas aqui só estão os alimentos saudáveis...Pois é :) as bolachinhas de chocolate, os pastéis de nata, e o resto do bolo dos anos da Laura não cabiam na imagem...mas tiveram espaço nas nossas barriguitas :)
Obrigada tio e tia por estes miminhos! :))) Muitos beijinhos!
Um beijinho para todos os que passarem por aqui...e...sirvam-se!!!...