"Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou! "

Florbela Espanca

quarta-feira, 25 de março de 2009

Súplica


Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.


Poema de Miguel Torga

domingo, 22 de março de 2009

Anestésico Voo


Um voo no nada
Uma viagem esquecida
Umas mãos à chegada
As mesmas que à partida

E a promessa feita
Nas cuidadosas mãos sorria
Já na luz refeita
Que um olhar sorvia

Um voo no nada
Uma viagem esquecida
Umas mãos presentes
Um retorno à vida...

O meu Muito Obrigada à Sra.Dra.Lidia Reis , e toda a fantástica equipe presente, do Hospital Garcia de Orta.

Maria Augusta Loureiro
Margusta

Menção Honrosa - X Salón de Inverno 2009- Barcelona

domingo, 15 de março de 2009

In Blue...




Cruzam-se os azuis,
nas veias pautadas dos sonhos,
enquanto um silêncio vermelho,
escorre sedento de Vida.
Dias de espera,
em que ensaio acordes,
e invento Blues,
só para mim...


Maria Augusta Loureiro
Margusta

15/03/2009
Pinhal da Lagoa de Albufeira

sábado, 7 de março de 2009

Dias...



Bato as asas,
ao de leve tocam-me os dias;

Sóis anunciados na tela do tempo.
Tributos de luz em domínio de sombras,
rasgando os véus das coisas feitas.

Antecipação das noites,
anunciando luas frias.
Flores por nascer,
de aromas desconhecidos.
Frutos amadurecidos.

Trilhos sinuosos , corredor da vida.
Rios de memórias, desenhos trajectórias
de gestos passados.
Sonhos, fantasias,
revoltas, alegrias,
dores , encantamento...
Estilhaços!...
Movimento!
Azul e branco
Silêncio...
Cinza pranto
Esquecimento!
Lágrimas e sorrisos
a pairar no
firmamento...

Adivinho o mundo.
Cruzo o interminável.
Bato as asas... e ao de leve,
toco os dias...

Maria Augusta Loureiro
Margusta



Publicado no livro "Poemas sem Fronteiras"
do concurso de poesia do "Ora vejamos"


*Reservados os direitos de autor