"Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou! "

Florbela Espanca

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Fico à tua espera na Primavera...


A madrugada estendia pelo céu o manto sanguíneo da sua primeira claridade. Olhou longamente a tela, enquanto as mãos nervosas poisavam os pincéis. Nas fontes os cabelos loiros, estavam humedecidos de ligeira transpiração, à roda dos olhos um halo mais acentuado das olheiras escurecidas.
Através da vidraça já se conseguiam vislumbrar os campos de Outono, cobertos de restolho... amarelecidos, com as árvores semi-desnudas. Ao longe, as aves iniciavam os seus voos em círculos, sobre a água matinal da pequena lagoa.

De novo o seu olhar poisou sobre a tela, onde as papoilas, pintadas de fresco brotavam da terra...bocas ardentes que manchavam os trigais...Conseguia divisar-lhes as bocas juntas, e as pálpebras cerradas de volúpia.

Perdia-se em pensamentos, a luta era dentro dela...a Vida e o Amor eram um mistério infinito... uma extradionária flor, onde existiam aromas tão diferentes!...
A vida abria-lhe os braços num rasgo de alegria e de luz ...mas tinha que proteger a sua rotina, a rotina a que se habituara , e lhe parecia perfeita.
Tinha que esquecer o Verão!...Logo agora que estava pronta para voar, e começar a aprender o significado da ternura do amor.
Toda a noite pintara, era preciso esquecer o Verão!...Já era Outono!...Estremeceu ao pensar na chegada do Inverno...Sabia que era amada , mais do que alguma vez imaginara...

Exausta recostou-se num cadeirão, fechou os olhos e em serenas lágrimas murmurou:
- Perdoa-me!... Mas deixo-te minha alma gémea...espera por mim numa outra vida!...
Escutou uma voz... pouco audível, pouco mais que um sussurro...
- Meu amor...fico à tua espera na Primavera!...

@Margusta

sábado, 10 de novembro de 2007

" Para adquirir amor...encha-se a si próprio com ele até se tornar um íman."
Charles Haanel

O Mar,os Pescadores e as Gaivotas...












"Nunca irei a uma manifestação contra a guerra. Se fizerem uma manifestação a favor da paz, convidem-me."
Madre Teresa

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Perco-me...por momentos



foto de 21/10/2007
Perco-me...
Nos pequenos/grandes momentos
Dos meus caminhares
Na essência da natureza
Revejo o reflexo dos meus sonhos
Sem contornos definidos
Fugazes são os sentires
Desses momentos
Onde me evado...
Perco-me...
Para de novo me reencontrar
Nas coisas simples
Que observo
E me fazem feliz
Perco-me...por momentos
Em momentos sentidos
No meu caminhar...
@Margusta

Hoje apeteceu-me postar este simples poema , já postado nos " Momentos Sentidos" a 7 de Janeiro de 2006.
... continuo a alimentar a minha alma das coisas simples...destes pequenos/grandes momentos, vou construindo os meus dias!...

Sequência de fotos tirada no entardecer de 3/11/2007







































Querida amiga Lena,gostei tanto do vídeo que me deixas-te noutro espaço,que não resisti em colocá-lo aqui.
Para escutar pf.desligar o vídeo do slideshow acima.