"Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou! "

Florbela Espanca

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Momento


Uma espécie de céu,

Um pedaço de mar,

Uma mão que doeu,

Um dia devagar.

Um Domingo perfeito,

Uma toalha no chão,

Um caminho cansado,

Um traço de avião.



Uma sombra sozinha,

Uma luz inquieta,

Um desvio na rua,

Uma voz de poeta.



Uma garrafa vazia,

Um cinzeiro apagado,

Um Hotel numa esquina,

Um sono acordado.

Um secreto adeus,

Um café a fechar,

Um aviso na porta,

Um bilhete no ar.



Uma praça aberta,

Uma rua perdida,

Uma noite encantada

Para o resto da vida.



Pedes-me um momento,

Agarras as palavras,

Escondes-te no tempo

Porque o tempo tem asas.

Levas a cidade

Solta no cabelo,

Perdes-te comigo

Porque o mundo é um momento.



Uma estrada infinita,

Um anúncio discreto,

Uma curva fechada,

Um poema deserto.

Uma cidade distante,

Um vestido molhado,

Uma chuva divina,

Um desejo apertado.



Uma noite esquecida,

Uma praia qualquer,

Um suspiro escondido

Numa pele de mulher.



Um encontro em segredo,

Uma duna ancorada,

Dois corpos despidos,

Abraçados no nada.

Uma estrela cadente,

Um olhar que se afasta,

Um choro escondido

Quando um beijo não basta.



Um semáforo aberto,

Um adeus para sempre,

Uma ferida que dói,

Não por fora, por dentro.



Pedes-me um momento,

Agarras as palavras,

Escondes-te no tempo

Porque o tempo tem asas.

Levas a cidade

Solta no cabelo,

Perdes-te comigo

Porque o mundo é um momento.


Pedro Abrunhosa

7 comentários:

Maria disse...

Se soubesses o que esta música tem de significado para mim...
Obrigada, Margusta.
Beijos

Kalinka disse...

Também gosto muito desta música do Pedro Abrunhosa.
Obrigado, Amiga.

Beijos.

Pepe Luigi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pepe Luigi disse...

As minhas sinceras desculpas por me ter enganado no nome.
Pepe

Pepe Luigi disse...

Minha Doce Margusta,
Excluí o meu comentário, cujo texto volto a repôr, por me ter enganado no seu nome.

Não há dúvida que a Margusta tem uma sensibilidade fora do comum.
Esta cançaõ do Pedro Abrunhosa, que para mim é sublime, é a real demonstração dessa sua grandiosa faculdade de sentir.
Deus permitirá que continue sempre assim.

Um grande beijinho
Pepe

lena disse...

foi o momento que me trouxe até ti, doce e querida amiga Margusta

não me ausentei, tenho vindo ler-te e sentir-te um pouco ao meu lado.

sentir o cheiro a mar que nos delicia e caminhar no pôr do sol que encanta e deslumbra

momentos meus e teus onde o silêncio nos une, as palavras nos dão afectos sentidos, momentos de partilha, de gostos de amizade

momentos nossos querida menina


beijo meu e o meu abraço muito forte onde vai a ternura, o carinho e a amizade que me une a ti

lena

Isabel-F. disse...

é belissimo este poema e a sua música ...


nunca me canso de o reler e ouvir ...


obrigada por este momento


beijinhos e espero que esteja tudo bem contigo